Aumenta número de empresas que não contratam fumantes no Japão

A medida inclui ainda incentivo para que os funcionários fumantes deixem o vício

fumantes no Japão
Muitas empresas japonesas estão deixando de contratar trabalhadores fumantes. A medida faz parte da ênfase que se tem dado à saúde dos empregados, limitando a exposição ao tabagismo passivo e melhorando a produção, ao eliminar os famosos “intervalos para fumar”. A informação é do jornal Yomiuri.

“Combater o tabagismo é um meio pelo qual as empresas podem se refazer”, disse Yasuhiro Oba, presidente da Sompo Japan Nipponkoa Himawari Life Insurance, após a cerimônia de inauguração de um consórcio corporativo para reduzir o tabagismo realizado em Tóquio no mês passado. Mais de 20 empresas participaram da iniciativa.

A Sompo intensificou a promoção de um serviço de seguro que ajuda os segurados a manter uma boa saúde, ao mesmo tempo em que se recusam a contratar novos licenciados que fumam para a sua entrada na primavera de 2020.

Os executivos da empresa e outros em cargos de alto nível também devem assinar um documento declarando que “não fumarão durante o horário de trabalho” antes de assumir seus postos.

A Hoshino Resorts Inc., da mesma forma, requer dos recrutados que assinem um termo assumindo o compromisso de não fumar depois de ingressar na empresa.

A Rohto Pharmaceutical Co. busca eliminar todo o fumo no trabalho entre os funcionários até 2020.

O fenômeno chegou também às universidades, como a de Nagasaki, que não contratará ninguém que fuma, para proteger os estudantes e outros membros da instituição.

A universidade pergunta aos novos candidatos se eles fumam. Se a resposta é sim, eles serão contratados somente se prometerem encerrar o vício.

A Universidade de Oita também decidiu dar preferência aos professores não fumantes.

Enquanto as empresas são proibidas de discriminar candidatos baseado em sexo ou em suas limitações físicas, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão informou que tais proibições não se aplicam a fumantes.

A Pfizer Japan Inc. adotou uma abordagem cautelosa antes de alterar suas políticas de contratação, primeiro consultando seus advogados. Depois de concluir que uma política para não contratar fumantes era relevante para suas atividades comerciais, a Pfizer deixou de contratar, no mês passado, trabalhadores em meio de carreira que fumam.

A empresa parou também de promover trabalhadores contratados como funcionários regulares se eles fumam, e decidiu não contratar novos graduados que fumam já visando a primavera de 2020.

De acordo com o advogado Yujiro Yoshimura, especializado em temas trabalhistas, as companhias têm direito de escolher seus funcionários e continuarão atuando contra os fumantes, especialmente com a opinião pública ao seu lado. No entanto, ele alertou que “as empresas podem estar exagerando se suas regras se aplicarem ao tempo pessoal dos funcionários, isto é, além do horário de trabalho”.
Fonte: Alternativa

Anúncios

Suicídio pode ser evitado com uma simples conversa, dizem voluntários no Japão

“As pessoas são muito fechadas, é realmente difícil falar sobre coisas pessoais”, afirmou Yoshie Otsuhata

voluntários no Japão
Todos os telefones da sala onde funciona um serviço de prevenção ao suicídio começaram a tocar às 20h em uma noite de sexta-feira, exatamente quando foi aberta, enchendo o estreito local de uma rua secundária de Tóquio com vozes de voluntários tentando ajudar as pessoas do outro lado da linha.

“É um problema no trabalho, ou algo em casa?”, perguntou Machiko Nakayama, voluntária de 60 anos, falando suavemente pelo telefone. “Você sente que quer morrer?”

No Japão, um país conhecido por ser reservado, especialistas e voluntários dizem que permitir que as pessoas expressem seus sentimentos mais íntimos ajudou a reduzir os suicídios em quase 40% em relação ao pico de 2003.

“O fato de eu não poder falar sobre meus sentimentos tornou-se opressivo”, disse a autora e ativista Akita Suei, cuja mãe se matou em 1955, quando ela ainda era criança. “Então, uma vez que finalmente pude falar… de repente meu humor melhorou”.

Operando todos os dias, quase sempre a partir das 20h até as 5h30, os telefones da Befrienders Worldwide Tokyo raramente são silenciosos, com cerca de 40 voluntários trabalhando quatro de cada vez em turnos de três horas.

“Se os telefones pararem de tocar por alguns minutos, acharemos que eles estão quebrados”, disse Nakayama, que se ofereceu para atuar como voluntária há 20 anos e agora é a diretora do local.

A Befrienders é uma das dezenas de organizações que operam linhas diretas de apoio em todo o Japão.

“As pessoas são muito fechadas, é realmente difícil falar sobre coisas pessoais – especialmente para os homens, que desde os velhos tempos não conseguem se expor”, disse Yoshie Otsuhata, subdiretora da linha de apoio.

A maioria das pessoas que ligam tem entre 30 e 40 anos, com 56% delas mulheres e 43% homens, segundo dados de 2018.

Ouvindo desabafos
A província de Akita, que por décadas teve a maior taxa de suicídio no Japão, também enfatiza a prevenção. Ao lado de linhas diretas, há uma rede de “ouvintes” treinados que se encontram com idosos solitários e isolados da região.

Sumiko, uma mulher de 73 anos que está acamada por causa de uma queda, achou que não havia sentido para a vida até que Ume Ito, uma “ouvinte”, começou a visitá-la há dois anos.

“As pessoas ligavam, mas apenas diziam continue lutando e desligavam logo”, lembrou Sumiko.

Ito disse que a maioria das pessoas que ela visita insistem, a princípio, que querem morrer. Mas ao longo de semanas e meses, a vida delas se ilumina.

“Nosso trabalho é dar-lhes espaço suficiente em seus corações para pensar”, disse ela.

Sumiko, cuja saúde está melhorando gradualmente, diz que as visitas de Ito deram a ela um novo objetivo.

“Eu quero ficar mais forte o mais rápido possível e me tornar uma ouvinte”, disse ela. “Se eu puder ajudar, mesmo que seja apenas uma ou duas pessoas, seria ótimo.”

A relação de telefones disponíveis da Befrienders Worldwide pode ser conferida aqui.
Fonte: Alternativa

Brasileiras vão promover 1º encontro de mulheres soldadoras em Aichi

O objetivo do evento é tratar sobre as dificuldades que as mulheres encontram na área de solda

mulheres soldadoras
No dia 07 de abril será realizado o 1º Encontro de Soldadoras no Japão. O evento é voltado para mulheres que trabalham com solda ou que tenham interesse no assunto, informou uma das organizadoras, Manuela Barão, residente em Chita (Aichi). A entrada é gratuita, mas é preciso fazer inscrição.

O objetivo do encontro, segundo Manuela, que também é soldadora profissional, é tratar sobre as dificuldades que as mulheres encontram na área de solda, falar sobre direcionamento profissional, posicionamento, qualificação, além de buscar elevar a autoestima das que atuam neste setor industrial.

O encontro tem o apoio da organização sem fins lucrativos (NPO, na sigla em inglês) SOS Mamães no Japão, do Projeto Tsuru e contará com a participação também dos criadores da página Renove-se, no Facebook, sobre Programação Neurolinguística, Evelin Hidaka e Fernando Rocha.

1º Encontro de Soldadoras no Japão
Quando: 07 de abril, das 10h às 13h
Local: 〒444-1221 Aichi-ken Anjo-shi Izumi-cho Oshita 38-1
Meisho Plaza. Tel.: 0566-92-3521 (para navegador).
Informações: 080-1561-4964 (Manuela)
Fonte: Alternativa

Renesas paralisa operações em 6 fábricas no Japão

A fabricante japonesa de semicondutores citou a desaceleração econômica da China como motivo para a paralisação de algumas fábricas no Japão

renesas
A fabricante japonesa de semicondutores Renesas Electronics vai paralisar as operações em seis fábricas nacionais por até dois meses em razão da desaceleração econômica da China, disseram representantes da empresa.

As seis fábricas, de suas nove no Japão, incluindo a planta de Naka na província de Ibaraki, terão as operações paralisadas por cerca de um mês a partir do fim de abril e por outro mês em agosto, de acordo com os representantes.

A Renesas espera reduzir um aumento no estoque, visto que os envios de chips para máquinas-ferramenta e eletrodomésticos diminuíram mais do que o esperado em meio à desaceleração na China.

A empresa também está considerando paralisar a produção em outras três fábricas nacionais e no exterior por semanas.

“Vamos gerenciar o nível de estoque de forma apropriada, visto que há incerteza sobre o curso de demanda no segundo semestre deste ano”, disse um representante da empresa.

Representantes da Renesas estão decidindo sobre como seus funcionários serão compensados por causa da redução de horas de trabalho.
Fonte: Portal Mie com Jiji

Japão: projeto proíbe uso do seguro de saúde por dependentes estrangeiros no exterior

O texto da reforma da lei será enviado para votação no Parlamento

seguro saude japao
O gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe aprovou nesta sexta-feira (15) um projeto de lei que tornará o programa de seguro de saúde aplicável somente aos trabalhadores e seus dependentes residentes no Japão para evitar abusos por parte de pessoas que moram no exterior, informou a agência de notícias Kyodo.

O projeto agora será enviado para votação no Parlamento, que normalmente aprova as propostas do governo porque o partido de Abe e seus aliados ocupam a maioria das cadeiras.

O Japão está procurando revisar o sistema enquanto se prepara para receber mais trabalhadores estrangeiros a partir de abril. A revisão planejada visa bloquear o uso do seguro nacional de saúde por estrangeiros que nunca moraram no Japão, incluindo parentes dos trabalhadores residentes no país.

Espera-se que o novo sistema de seguro entre em vigor em abril de 2020, um ano depois de o Japão começar a aceitar mais trabalhadores estrangeiros sob um novo programa de vistos para combater a escassez de mão de obra no país.

O atual sistema de seguro de saúde cobre os dependentes dos trabalhadores que vivem no exterior, mas as autoridades enfrentam dificuldades para verificar se são realmente familiares ou financeiramente dependentes dos trabalhadores.

Médicos relataram casos em que estrangeiros receberam cuidados de saúde caros e tiveram os custos parcialmente cobertos pelo sistema de seguro japonês por serem dependentes de trabalhadores no Japão, levando alguns legisladores conservadores a pedir uma revisão do sistema.

Como exceção, o Ministério da Saúde planeja introduzir decretos para permitir cobertura de seguro de saúde para aqueles que estão temporariamente vivendo no exterior para estudo ou trabalho, independentemente da nacionalidade.

Devido ao envelhecimento da população e da queda na taxa de natalidade, o Parlamento japonês aprovou em dezembro um projeto de lei que permite receber trabalhadores estrangeiros em setores onde faltam mão de obra, incluindo construção, agricultura e cuidados aos idosos.

O número de trabalhadores estrangeiros no Japão triplicou ao longo de uma década para um recorde de 1,46 milhão em outubro, de acordo com o Ministério do Trabalho.

Sob o novo sistema de vistos, o Japão aceitará até 345 mil estrangeiros nos próximos cinco anos.
Fonte: Alternativa

Curso gratuito de assistência aos idosos

As inscrições têm início em 21 de janeiro e terminam em 15 de fevereiro

curso assistência aos idosos6
O Governo de Shizuoka e o Colégio Técnico de Hamamatsu estão oferecendo aos estrangeiros mais um curso gratuito de assistência aos idosos, para principiantes.

As inscrições têm início em 21 de janeiro e terminam em 15 de fevereiro. A a duração do curso é de 4 meses. Intérpretes em português estarão disponíveis para auxiliar os alunos.

Para aqueles que tiverem filhos pequenos (até 5 anos de idade) e quiserem fazer o curso, mas não têm com quem deixá-los, haverá creche.

A data de inscrição para creche é até dia 08 de fevereiro.

Veja abaixo os detalhes sobre o curso de assistência aos idosos (para principiantes):
curso assistência aos idosos1

curso assistência aos idosos2

curso assistência aos idosos3

curso assistência aos idosos4

curso assistência aos idosos5

Fonte: Portal Mie

Japão define política básica para receber 345.150 trabalhadores estrangeiros a partir de abril

Governo vai combater intermediadores que tenham a intenção de explorar mão de obra

construção civil1
O gabinete do primeiro-ministro Shinzo Abe definiu nesta terça-feira (25) a política básica para aceitar mais trabalhadores estrangeiros a partir de abril de 2019, informou o jornal Mainichi.

A previsão é de receber no máximo 345.150 estrangeiros durante cinco anos, até março de 2024, para atuação em 14 áreas de trabalho que enfrentam falta de mão de obra.

O governo pretende combater intermediadores da parte de recrutamento e empregadores que tenham a intenção de explorar os estrangeiros, fazendo falsas promessas e pagando baixos salários com longas jornadas de trabalho. Para isso, vai fiscalizar as empresas, montar centros de apoio com intérpretes e fazer acordos com os países de origem dos trabalhadores.

Os programas de apoio que os empregadores devem criar para seus funcionários estrangeiros incluem orientação sobre estilo de vida antes de vir ao Japão, fornecimento de moradia e assistência em treinamento em japonês.

O pacote prevê o emprego direto e em tempo integral, mas também são permitidos contratos temporários para setores como a pesca devido à flutuação nas demandas de trabalhos sazonais.

Política básica para novos trabalhadores estrangeiros
Número de trabalhadores

345.150 durante cinco anos, a partir de abril de 2019

Vistos
Categoria 1 – Para trabalhadores com baixa qualificação. Duração de 5 anos, sem possibilidade de renovação. Familiares não serão aceitos.

Categoria 2 – Para trabalhadores com alta qualificação. Duração de 5 anos, com renovação ilimitada. Cônjuges e filhos serão aceitos.

Áreas de trabalho
Assistência a idosos – 60.000 vagas
Limpeza de prédios – 37.000 vagas
Indústria de materiais – 21.500 vagas
Fabricação de maquinário – 5.250 vagas
Indústria eletrônica – 4.700 vagas
Construção – 40.000 vagas
Construção de navios – 13.000 vagas
Manutenção de veículos – 7.000 vagas
Aviação – 2.200 vagas
Hotelaria – 22.000 vagas
Agricultura – 36.500 vagas
Pesca – 9.000 vagas
Produção de alimentos – 34.000 vagas
Serviços em restaurantes – 53.000 vagas

Países que aplicarão testes de idioma japonês e de capacitação:
Vietnã, Filipinas, Camboja, Indonésia, China, Tailândia, Myanmar, Mongólia e Nepal
Fonte: Alternativa

Pesquisa entre estrangeiros: 74% estão muito interessados em trabalhar no Japão

Com a aprovação dos novos vistos, a grande maioria dos estrangeiros acha apropriado o conhecimento do idioma japonês

trabalhadores estrangeiros novo status
O Instituto de Pesquisas Pasona anunciou na segunda-feira (10) o que pensam os estrangeiros sobre os novos vistos de trabalho no Japão, especialmente o de no máximo 5 anos.

Foram entrevistadas, online, 860 pessoas residentes em 4 países: Índia, Indonésia, Filipinas e Vietnã. São da faixa dos 20 aos 50 anos, de ambos os sexos, com formações escolares diversas, do ginásio a PhD. Porém, 68% têm curso superior completo.

A pesquisa quis ver o nível de consciência sobre as condições da revisão da Lei de Controle da Imigração aprovada no dia 8.

À primeira pergunta se há interesse nos novos status de permanência, 74% responderam positivamente que “sim, muito interesse” e 22% “até tenho interesse”.

Em relação tempo máximo de permanência de 5 anos, 66% acham apropriado. As opiniões sobre quanto tempo gostariam de trabalhar no Japão se dividiram. Dois grupos de 34% indicaram 3 a 5 anos e de 5 a 10 anos. Mas 22% demonstraram vontade de permanecer no país.

Em relação à exigência do nível básico do idioma japonês 65% acharam apropriado. Um grupo de 23% achou “muito fácil” contra apenas 12% de “muito rigoroso”.

Metade (48%) dos entrevistados apontaram que gostariam de vir acompanhados da família, apesar de saberem que para o status de no máximo 5 anos não é permitido.

Veja quais são as áreas que os estrangeiros mais demostraram interesse em trabalhar.

pesquisa trabalhadores estrangeiros

Fonte: Portal Mie com Pasona

Atividade das fábricas no Japão cresce no ritmo mais lento em dois anos

Dados sugerem que os fabricantes já começaram a reduzir as expectativas

fabricas no japao
A atividade manufatureira do Japão cresceu no ritmo mais lento em dois anos e novos pedidos contraíram pela primeira vez desde setembro de 2016, mostrou uma pesquisa preliminar nesta segunda-feira (26), levantando dúvidas sobre as perspectivas de crescimento para o atual trimestre.

O Índice de Gerenciamento de Compra de Manufatura (PMI) Markit/Nikkei caiu para um ajuste sazonal de 51,8 em novembro, ante uma média de 52,9 em outubro.

O índice permaneceu acima do limite de 50, que separa a contração da expansão, pelo 27º mês consecutivo.

No entanto, a leitura foi a mais fraca desde novembro de 2016 e teve uma queda significativa em relação ao pico de seis meses de outubro.

“A queda nas novas encomendas é um fator preocupante, uma vez que a flexibilização do ritmo de crescimento global, juntamente com um cenário doméstico fraco, pode significar novos problemas de demanda para o quarto trimestre”, disse Joe Hayes, economista da IHS Markit, que compila a pesquisa.

Os dados da pesquisa sugerem que os fabricantes já começaram a reduzir as expectativas. Eles continuam esperando que a produção aumente no futuro, mas o grau de otimismo declinou pelo sexto mês consecutivo.

O índice de novas encomendas caiu de 52,6 para 49,6 em outubro, enquanto o de novos pedidos de exportação mostrou expansão, embora em ritmo mais lento.

A economia do Japão, a terceira maior do mundo, encolheu mais do que o esperado no terceiro trimestre, atingida por desastres naturais e exportações fracas.

Enquanto espera-se que a economia retorne ao crescimento neste trimestre à medida que os efeitos de desastres naturais diminuem, a desaceleração da demanda global e a intensificação da guerra comercial entre os EUA e a China obscurecem as perspectivas para o Japão, país que depende das exportações.
Fonte: Alternativa com Reuters

Japão planeja mudar regras de aposentadoria e retirar benefícios de dependentes estrangeiros fora do país

Governo quer mudanças por causa da possível entrada de mais trabalhadores

japão planeja mudar regras
O governo japonês pretende mudar algumas regras de aposentadoria em 2019, retirando os benefícios dos dependentes estrangeiros que não moram no país, informou o jornal Yomiuri nesta segunda-feira (12).

Já o aposentado não seria afetado pelas medidas e receberia o benefício mesmo depois de se mudar para outro país.

Atualmente, a aposentadoria vinculada ao shakai hoken (seguro social) permite que os dependentes do trabalhador contribuinte também recebam benefícios no futuro, independente do país onde estiverem morando.

Mas o governo quer mudar essa regra no ano que vem por causa da possível entrada de mais trabalhadores estrangeiros a partir de abril. Os novos contratados também serão obrigados a entrar no shakai hoken, que incluiu a contribuição para a Previdência.

O Parlamento está votando um projeto do governo que permite a entrada de estrangeiros a partir de abril, com visto de até cinco anos para operários comuns e com visto renovável para trabalhadores qualificados em determinadas áreas.

O sistema de aposentadoria do Japão sofre com o rápido envelhecimento da população, e o governo tem tomado medidas para que o país não entre em colapso nesse setor.

Seguro de Saúde
Da mesma forma, o governo pretende rever o sistema de seguro de saúde do país, aplicando regras mais rigorosas para sua cobertura, a fim de evitar o uso abusivo principalmente por estrangeiros.

A revisão planejada visa bloquear o uso do sistema de seguro por estrangeiros que nunca viveram no Japão, incluindo os parentes de trabalhadores inscritos no benefício.

O seguro, que cobre despesas médicas não apenas de trabalhadores, mas também de seus familiares, atualmente não exige que os dependentes, apoiados financeiramente pelos trabalhadores, morem no Japão.
Fonte: Alternativa

O Nihon - Curiosidades sobre o Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Guia para viver no Japão

Informações sobre a vida cotidiana no Japão dos japoneses e dos estrangeiros que vivem no país.

Passagem aérea para o Japão, Tóquio, Nagoya ou Osaka

Passagens aéreas, pacotes de turismo, seguro viagem, reserva em hotel, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Viagem para o Japão

Passagem aérea e pacote de turismo para o Japão

Vaga no Japão

Vagas e notícias do Japão

Japan Rail Pass - JRP

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Visto japonês, nissei, sansei, yonsei, cônjuges e turismo

Como tirar visto japonês - contato@vistojapones.com.br - www.vistojapones.com.br

Trabalho no Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Empreiteiras no Japão

Emprego - passagem - tradução - visto para o Japão

Emprego no Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Aeroportos de todo o mundo

Informações sobre os principais aeroportos e companhias aéreas

Informações sobre empregos no Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Passagem Aérea para o Japão - Narita, Nagoya e Osaka

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Pacote de turismo para o Japão e para o Oriente

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass