Murata vai comprar fábrica da Sony para aumentar a produção de peças de smartphone

Com a compra da fábrica da Sony em Ishikawa, a Murata aumentará a capacidade de produção para peças de iPhone e outros tipos de smartphones
murata-sony
A Murata Manufacturing Co. vai adquirir uma unidade da Sony Corp. localizada na central do Japão, enquanto ela busca atender a crescente demanda para componentes de iPhone e outros smartphones, disseram fontes da empresa no domingo (15), divulgou o Mainichi.

A Murata, uma fornecedora da Apple Inc., vai adquirir a unidade localizada na cidade de Nomi (Ishikawa) até março para produzir placas de circuito de smartphones, com seu investimento total incluindo gastos em novo equipamento que poderá ser entre 30 a 40 bilhões de ienes.

A empresa vem produzindo placas de circuito que ela desenvolveu para smartphones mais finos em uma fábrica na província de Toyama, perto de Ishikawa, dentre outros locais. Ela não conseguiu expandir sua produção o suficiente para atender a demanda.

Desde 2014, quando a Sony suspendeu a produção de componentes para câmeras na planta de Nomi, a fábrica foi alugada para uma empresa diferente de montagem de semicondutores.

Após o término da operação de montagem no início deste ano, a Murata abordou a Sony para a compra da unidade.

A Murata visa dobrar sua produção de placas de circuito no próximo ano fiscal, com início em abril, segundo fontes.
Fonte: Portal Mie com Mainichi

Anúncios

Empresas de construção civil anunciam planos para limitar horas extras

O plano de ação estará em linha com a reforma do governo em relação ao estilo de trabalho
construcao civil japao

A Federação do Japão de Empreiteiros de Construção, formada por grandes firmas de construção, anunciou na sexta-feira (22) um plano de ação para empresas regularem por conta própria as horas extras e efetivarem 2 dias de descanso por semana.

Através do plano de ação, a federação espera que a mudança, em passo com a reforma do governo do estilo de trabalho e melhoria do ambiente laboral, considerado mais duro em comparação a outras indústrias, ajudará a resolver a escassez de mão de obra.

“É essencial trabalharmos para nossa própria salvação com um senso de velocidade, visto que as pessoas estão preocupadas”, disse Takashi Yamauchi, presidente da federação e também da Taisei Corp., em uma conferência de imprensa.

“Gostaríamos de lidar com o assunto rapidamente, ficando um ou até dois passos à frente da política do governo”, frisou.

Além de suas 140 empresas-membro, a federação planeja fazer um apelo a toda a indústria, que tem cerca de 500.000 construtoras, para implementar esforços similares. Em seu plano de ação para reforma no estilo de trabalho adotado em março, o governo introduziu um limite de 720 horas por ano, incluindo períodos movimentados.

Para a indústria da construção, no entanto, foi concedido um período de tolerância de 5 anos, que será estabelecido após os padrões alterados de trabalho forem aplicados, para implementar o plano.
Fonte: Portal Mie com Yomiuri

Hospital de Shimane oferece guia médico em português

Os residentes brasileiros da cidade de Izumo podem ficar tranquilos em relação à compreensão dos serviços médicos de um grande hospital na cidade, com o guia em português

Guia de Assistência Médica shimane
O Hospital da Universidade de Shimane elaborou um guia médico em dois idiomas – português e inglês. O guia ajuda os pacientes estrangeiros que precisam usar os serviços de consulta, atendimento e exames do hospital, ligado à Universidade Federal de Shimane, em Izumo.

Para que o paciente estrangeiro não fique preocupado em razão do não conhecimento do idioma japonês, o guia explica como fazer a consulta e quais são as especialidades disponíveis no hospital. Ele traz a fotografia de cada médico e o conteúdo do tratamento que pode oferecer. São 39 especialidades, incluindo medicina homeopática e AIDS.

A cidade de Izumo tem cerca de 175 mil habitantes, segundo o levantamento de junho deste ano. Dessa população, 3.267 são estrangeiros, sendo que 2.225 são brasileiros.

A versão em português ficou pronta primeiro. Ela foi distribuída através das empreiteiras para os residentes brasileiros. Foram impressos 1,5 mil exemplares na primeira edição.

A versão em inglês ficou pronta este mês, com edição de 500 exemplares.

Serviço do hospital
Hospital da Universidade de Shimane
Endereço: Shimane-ken Izumo-shi Enya-cho 89-1
Telefone geral: 0853-23-2111
Telefone da Divisão de Assuntos Gerais (総務課) para obter um exemplar: 0853-20-2019 (em japonês)
Fonte: Portal Mie com Mainichi e divulgação

Aumento da despesa média familiar no Japão após 16 meses

Saiba o valor médio da renda e da despesa de uma família japonesa, com mais de 2 pessoas, e se o Japão está em recuperação da economia
iens5

Aumento da despesa média familiar pode ser um indicativo de que o Japão retomou o crescimento da economia? Pode ser que sim.

De acordo com o anúncio feito pelo Ministério de Assuntos Internos e Comunicações, nesta sexta-feira (28), o resultado da pesquisa realizada em junho, mostra que a despesa média de uma família japonesa subiu para 268.802 ienes. Essa média é das famílias em geral, acima de 2 pessoas.

Essa soma de despesas não ocorria desde fevereiro de 2016, ou seja, há 16 meses. Em relação ao mês anterior, o aumento foi de 1,5%.

Despesa da família e para onde foi o dinheiro
De acordo com o resultado da pesquisa, as famílias gastaram mais com a habitação. Houve um aumento de 25,1% em relação à reformas e manutenção. Além disso, o setor de veículos está numa fase boa, com aumento de vendas de carros novos. Em consequência, houve aumento de compras relacionadas aos acessórios e utilidades para o carro.

Outro aumento significativo, de 6%, foi observado nos itens transporte e comunicação. Houve aumento de vendas de passagens aéreas e terrestres.

Em relação aos alimentos – comida e bebida – continua com leve queda. No mês passado, caiu 0,6% e credita-se aos preços altos dos pescados como salmão e bonito.
Despesa média e renda média da família de assalariado

Já as despesas de uma família de assalariado ou do trabalhador empregado, a média foi mais alta: 296.653 ienes, com um aumento de 6,7% em termos reais, comparado com o ano passado. Esse é o segundo mês consecutivo com aumento.

A renda média de uma família dos assalariados foi de 735.477 ienes, apresentando aumento real (excluindo a flutuação dos preços) de 0,1%, pela primeira vez em 4 meses.

Segundo o ministério, embora seja visível a recuperação do consumo em vários setores, é necessário identificar essa tendência com cuidado.
Fonte: Portal Mie com NHK e Nikkei Shimbun

Sete aplicativos úteis para os estrangeiros que vivem no Japão

Plataformas gratuitas ajudam a entender o sistema do país e até a fazer novos amigos

aolicativos japao
Para quem vive no Japão, os smartphones podem ser de grande ajuda no cotidiano. Aplicativos sobre linhas de trens, alertas de terremotos, preço de gasolina e tantas outras ferramentas fazem toda a diferença no dia a dia e evitam pequenos problemas provocados pela falta de informação ou pela dificuldade com o idioma japonês.

Para divulgar ainda mais estas ferramentas, montamos uma lista de sete aplicativos gratuitos de utilidade, estudo e lazer. Além das sugestões da Redação da Alternativa, a lista leva também ferramentas escolhidas pela estudante de análise e desenvolvimento de sistemas Fernanda Moribayashi e o colunista de tecnologia Paulo Sakamoto.

Confira abaixo e clique no nome do sistema desejado para abrir a página do aplicativo.

1. Jorudan – IOS Android
As linhas de trem no Japão podem ser confusas, principalmente aos estrangeiros. Ao instalar o aplicativo Jorudan, você provavelmente não terá mais dificuldades de se locomover no transporte público japonês.
O aplicativo mostra as opções de trajeto até o destino, o horário do trem, preço e número da plataforma. Basta escrever a estação que está e o local que deseja ir para conferir o roteiro.

2. Yurekuru – IOS Android
Essencial para quem vive no Japão, o “Yurekuru” é um aplicativo que informa sobre a ocorrência de terremotos em todo o arquipélago, com informações baseadas nos registros da Agência Nacional de Meteorologia.
Em inglês, o usuário pode configurar o local que reside e a intensidade dos tremores que gostaria de ser notificado. Ao abrir o programa, é possível conferir uma lista dos últimos terremotos e a localização no mapa, além da variação de intensidade em cada cidade ou província atingida.

3. Gogo.gs – IOS Android
Indispensável aos motoristas, o Gogo.gs é um aplicativo que pode garantir economia de tempo e dinheiro. Ao abrir a plataforma, o usuário poderá observar um mapa local e conferir os postos de gasolina mais próximos e a variação de preços em cada um deles.

4. Meetup – IOS Android
Quer fazer amigos que tenham os mesmos interesses que você? O aplicativo Meetup pode dar uma força nesta tarefa social. A ferramenta cadastra os tópicos de interesse do usuário e busca grupos sociais relacionados. Ao entrar em um grupo, você terá acesso a um calendário de eventos, caixa de e-mail e perfil de outros participantes.

5. Kakaku.com – IOS Android
Se você está sempre procurando por bons preços na hora de fazer compras, experimente os recursos do aplicativo “Kakaku.com” (chamado de 価格.com em japonês). A plataforma compara preços de diferentes lojas e faz buscas através de código de barras, o que permite que o usuário compare o preço na loja física com as lojas virtuais.
O aplicativo está disponível apenas em japonês, mas é fácil de entender devido ao impacto visual de imagens e preços. Para quem domina o idioma, é possível acompanhar recursos como a avaliação de usuários que compraram os produtos, além de navegar com mais precisão entre as categorias.

6. Imi wa? – IOS
Quem está estudando japonês pode contar com a ajuda do aplicativo gratuito “Imi wa?” na hora de buscar o significado dos vocábulos. A ferramenta apresenta traduções em vários idiomas (inclusive português) e mostra ainda exemplos de frases com a palavra pesquisada. Há recursos para buscar kanjis pelos traços e dar destaque as expressões em estudo.

7. Human Japanese – IOS Android
Disponível em todas as plataformas e com versões gratuitas e pagas, o Human Japanese é um aplicativo completo para quem quer focar no estudo de japonês. Há gravações, animações, explicações simplificadas e tudo o que os estudantes precisam ao começar do básico.
Fonte: Alternativa

Os jovens japoneses que estão trabalhando literalmente até a morte

trabalhadores no japao

Michiyo Nishigaki encheu-se de orgulho quando seu único filho, Naoya, conseguiu um emprego em uma grande empresa de telecomunicações japonesa, assim que concluiu a universidade.

Naoya adorava computadores, e o novo emprego parecia ser uma ótima oportunidade profissional no competitivo ambiente corporativo japonês.

Dois anos depois, porém, a mãe começou a notar problemas.

“Ele me dizia que estava ocupado, mas que estava bem”, relembra Michiyo.

“Até que ele veio para casa para comparecer ao velório do avô e não conseguia sair da cama. Ele me dizia: ‘Me deixe dormir um pouco. Não consigo levantar. Desculpe, mãe, mas me deixe dormir”, acrescenta.

Mais tarde, ela soube por intermédio de colegas que o filho estava trabalhando dia e noite.

“Em geral, ele trabalhava até o horário do último trem, mas se perdesse esse acabava dormindo no escritório”, conta a mãe. “Em casos extremos, trabalhava a noite toda até 22h do dia seguinte, totalizando 37 horas de trabalho.”

Naoya morreu aos 27 anos, de overdose de medicamentos. Seu caso foi oficialmente considerado um de “karoshi” – termo japonês para descrever a morte por excesso de trabalho.

O Japão tem tradicionalmente uma das jornadas laborais mais longas do mundo, e o fenômeno não é novo – o “karoshi” começou a ser identificado nos anos 1960. Mas casos recentes têm colocado o tema na pauta de debates no país.

Jornada
No Natal de 2015, Matsuri Takahashi, funcionária da agência de publicidade Dentsu, cometeu suicídio aos 24 anos.

Logo veio à tona a informação de que ela estava em estado de privação de sono e havia acumulado mais de 100 horas extras nos meses que antecederam sua morte.

Não é algo incomum, sobretudo entre jovens recém-iniciados no mercado de trabalho, explica Makoto Iwahashi, funcionário da Posse, organização que dá ajuda psicológica telefônica para essas pessoas.

Ele diz que a maioria dos telefonemas que recebe consiste em reclamações quanto a longas jornadas de trabalho.

“É triste, porque esses jovens profissionais acham que não têm alternativa”, diz Iwahashi à BBC.

“Ou você pede demissão ou trabalha 100 horas. E se você pede demissão, você não consegue viver”, acrescenta.

Para Iwahashi, a redução da estabilidade profissional aumenta a insegurança dos trabalhadores.

“Havia karoshi nos anos 1960 e 70, (mas) a diferença é que, ainda que eles tivessem que trabalhar por muitas horas (naquela época), eles tinham emprego garantido para a vida. Não é mais o caso.”

cultura da hora extra

Cultura da hora extra
Dados oficiais apontam que há centenas de casos anuais de “karoshi” no país, incluindo enfartos, derrames e suicídios decorrentes da estafa profissional extrema. Mas ativistas acreditam que o número real seja muito mais alto.

Quase um quarto das empresas japonesas tem empregados que excedem 80 horas extras semanais por mês – muitas vezes sem ganhos extras -, diz um estudo recente.

E, em 12% das empresas, os funcionários fazem mais de 100 horas extras por mês.

São números significativos: é a partir de 80 horas extras no mês que se nota um aumento da possibilidade de morte do funcionário.

O governo japonês está sob crescente pressão para conter o problema, mas se vê diante de uma tradição corporativa antiga – quem vai embora do escritório antes que seus colegas ou seu chefe passa a ser mal visto.

No início deste ano, o governo lançou as “sextas premium”, estimulando as empresas a permitir que seus funcionários saiam mais cedo – às 15h – na última sexta-feira do mês. Também incentivam os funcionários a tirar mais dias de folga.

Os trabalhadores japoneses têm direito a 20 dias de férias por ano, mas atualmente 35% deles não usam nenhum dia sequer.

longa jornada
Luzes apagadas
Nos escritórios do governo distrital de Toshima, no centro de Tóquio, recorreu-se à ideia de apagar as luzes às 19h, para forçar os funcionários a irem embora na hora certa.

“Queríamos fazer algo de visibilidade”, diz o gerente do escritório, Hitoshi Ueno. “Não se trata de apenas reduzir a jornada. Queremos que as pessoas sejam mais eficientes e produtivas, para que todos possam resguardar e aproveitar seu tempo livre. Queremos mudar o ambiente profissional em geral.”

O foco na eficiência pode fazer sentido: enquanto o país tem uma das jornadas laborais mais longas do mundo, é o menos produtivo entre os países do G7, grupo das nações mais ricas.

Mas críticos dizem que tais medidas são muito fragmentadas e incapazes de lidar com o problema central: que jovens profissionais estão morrendo por estarem trabalhando muito duro e por muitas horas.

Para alguns, a solução passa em estipular um limite legal às horas extras.

No início deste ano, o governo propôs restringir as horas extras a 60 horas mensais, permitindo que “em períodos de maior demanda” esse limite subisse a 100 – já na zona de perigo de “karoshi”.

Muitos acusam o governo de priorizar interesses econômicos ao bem-estar dos trabalhadores.

“O povo japonês conta com o governo, mas está sendo traído”, diz Koji Morioka, acadêmico que estuda o fenômeno do “karochi” há 30 anos.

Enquanto o debate avança, mais jovens têm morrido, e grupos de apoio a famílias enlutadas ganham cada vez mais membros.

Michiyo Nishigaki, mãe de Naoya, diz que seu país está “matando” sua mão de obra, em vez de valorizá-la.

“As empresas focam apenas nos lucros de curto prazo”, opina.

“Meu filho e outros jovens não odeiam trabalhar. São capazes e querem se sair bem. Deem a eles a oportunidade de trabalhar sem uma longa jornada ou problemas de saúde, e eles se tornarão um privilégio do país”, conclui.
Fonte: BBC Brasil por 

Empregos no Japão: melhor nível em mais de 4 décadas

Maior disponibilidade de empregos no Japão em 4 décadas. Transporte, serviços postais e construção lideram contratações

emprego no japao2
A disponibilidade de trabalho no Japão atingiu o seu melhor nível em mais de 4 décadas, segundo informações divulgadas pelo governo na terça-feira (30), um sinal revigorado de que as empresas estão cada vez mais competindo para contratar trabalhadores em meio a uma escassez de mão de obra.

O mercado de trabalho do país está apertado nos meses recentes enquanto a economia continua se recuperando moderadamente. Entretanto, os salários não tiveram muitos aumentos e o consumo privado, um componente fundamental da economia, permanece lento.

A proporção de ofertas de trabalho aos candidatos foi de 1.48 em abril, aumento de 1.43 em março, o melhor nível desde fevereiro de 1974, que chegou a 1.53, de acordo como o Ministério do Trabalho. Isso significa que 148 vagas estavam disponíveis para cada 100 candidatos em busca de emprego.

Segundo o Ministério de Assuntos Internos e Comunicação, a taxa de desemprego ficou inalterada, a 2.8 por cento no mês de abril em relação ao mês anterior, ficando abaixo da marca dos 3 por cento.

Os gastos do consumidor em abril, no entanto, caíram 1.4 por cento em relação ao ano anterior, para 295.929 ienes, queda pelo 14º mês consecutivo, a faixa de perda mais longa desde o período entre março de 2008 e abril de 2009.

Ofertas de emprego vêm aumentando em setores como os de transporte, serviços postais e construção
Dados recentes mostraram que a economia japonesa registrou seu 5º trimestre consecutivo de expansão nos primeiros 3 meses de 2017, a faixa mais longa de crescimento desde 2006.

Com o envelhecimento populacional, o Japão precisa resolver a questão da escassez de mão de obra. O governo do primeiro-ministro Shinzo Abe vem buscando encorajar mais mulheres a participarem da força de trabalho e aumentar a produtividade através de reformas trabalhistas.

“Novas ofertas de emprego vêm aumentando em setores como os de transporte, serviços postais, indústria e construção e dados confirmam que o mercado de trabalho continua apertado”, disse Miyuki Kiso, economista de mercado no Mizuho Securities Co.

O Japão tinha 65.22 milhões de trabalhadores em abril, enquanto o número de desempregados foi de 1.86 milhão.
Fonte: Portal Mie com Mainichi

Curso de assistência a idosos para estrangeiros tem inscrições abertas em Hamamatsu

Há vagas para somente 12 pessoas que forem aprovadas em um exame de seleção

Curso de assistência a idosos para estrangeiros
O governo da província de Shizuoka, através do Colégio Técnico de Hamamatsu, vai promover mais um curso intensivo voltado especificamente a estrangeiros para formar assistentes de idosos, a partir de 31 de maio, em um período de quatro meses (74 dias ou 438 horas).

As inscrições começaram nesta segunda-feira (17) e podem ser feitas até 12 de maio. Há vagas para somente 12 pessoas que forem aprovadas em um exame de seleção.

Só podem participar estrangeiros que estão procurando emprego e possuem cartão de registro do Hellowork. O curso terá aulas relacionadas à geriatria, comunicação com idosos, noções de saúde e outros assuntos.

Além da área de assistência, os alunos aprenderão sobre costumes trabalhistas e como preencher um currículo. Os professores são japoneses, mas os alunos terão a ajuda de intérpretes para poder acompanhar as matérias.

A prova de seleção será realizada no dia 19 de maio, no Colégio Técnico de Hamamatsu, com leitura e escrita de hiragana e katakana, redação (propósito dos candidatos) e entrevista.

Já o curso será realizado em outro local, no Ohara Boki Jouhou Iryou Senmon Gakkou, também em Hamamatsu.

O curso em si é gratuito, mas o aluno precisará pagar o material didático no valor de ¥14.256, seguro de ¥500 a ¥900 e exame médico de ¥1.700. Outras informações podem ser obtidas em português pelo telefone 053-462-5602.
Fonte: Alternativa

curso de assistencia

Números de telefones da Hello Works

Agências Pública de Empregos no Japão (Hello Work)
hello work tels

Aichi-ken
Nagoya-shi 052-774-1115
Toyohashi-shi 0532-52-7191
Okazaki-shi 0564-52-8609
Ichinomiya-shi 0586-45-2048
Handa-shi 0569-21-0023
Seto-shi 0561-82-5123
Toyota-shi 0565-31-1400
Kariya-shi 0566-21-5001
Hekinan-shi 0566-41-0327
Nishio-shi 0563-56-3622
Inuyama-shi 0568-61-2185
Toyokawa-shi 0533-86-3178
Gamagoori-shi 0533-67-8609
Shinshiro-shi 0536-22-1160
Kasugai-shi 0568-81-5135
Tsushima-shi 0567-26-3158

Chiba-ken
Chiba-shi 043-242-1181
Ichikawa-shi 047-370-8609
Choushi-shi 0479-22-7406
Tachiyama-shi 0470-22-2236
Kisarazu-shi 0438-25-8609
Katori-shi 0478-55-1132
Shigerhara-shi 0475-25-8609
Isumi-shi 0470-62-3551
Matsudo-shi 047-367-8609
Kashiwa-shi 04-7166-8613
Noda-shi 04-7124-4181
Funabashi-shi 047-431-8287
Narita-shi 0476-27-8609
Chiba-shi 043-300-8609

Fukui-ken
Fukui-shi 0776-23-2500
Echizen-shi 0778-22-4078
Oono-shi 0779-66-2408
Sakai-shi 0776-81-3262
Suruga-shi 0770-22-4220
Ohama-shi 0770-52-1260

Fukuoka-ken
Fukuoka-shi 092-712-6508
Iizuka-shi 0948-24-8609
Oomuta-shi 0944-53-1551
Kita kyuushuu-shi 093-622-5566
Kurume-shi 0942-35-8609
Ookawa-shi 0944-86-8609
Nougata-shi 0949-22-8609
Tagawa-shi 0947-44-8609
Yukuhashi-shi 0930-25-8609
Toyomae-shi 0979-82-8609
Fukuoka-shi 092-672-8609
Yame-shi 0943-23-6188
Asakura-shi 0946-22-8609
Kasugai-shi 092-513-8609
Fukuoka-shi 092-881-8609

Gifu-ken
Gifu-shi 058-247-3211
Oogaki-shi 0584-73-8609
Ibi-gun 0585-22-0149
Tajimi-shi 0572-22-3381
Takayama-shi 0577-32-1144
Ena-shi 0573-26-1341
Seki-shi 0575-22-3223
Minokamo-shi 0574-25-2178
Gujou-shi 0575-65-3108
Nakatsugawa-shi 0573-66-1337

Gunma-ken
Maebashi-shi 027-290-2111
Takasaki-shi 027-327-8609
Annaka-shi 027-382-8609
Kiriu-shi 0277-22-8609
Isezaki-shi 0270-23-8609
Oota-shi 0276-46-8609
Tatebayashi-shi 0276-75-8609
Numata-shi 0278-22-8609
Tomioka-shi 0274-62-8609
Fujioka-shi 0274-22-8609
Shibukawa-shi 0279-22-2636~7
Agatsuma-gun 0279-75-2227~8

Hyougo-ken
Kobe-shi 078-362-8609
Mita-shi 079-563-8609
Amagasaki-shi 06-6428-0001
Irimiya-shi 0798-75-6711
Himeji-shi 079-222-8609
Kakogawa-shi 079-421-8609
Itami-shi 072-772-8609
Akaishi-shi 078-912-2277
Toyooka-shi 0796-23-3101~3
Mikata-gun 0796-36-0136~7
Youfu-shi 079-662-2217~8
Asago-shi 079-672-2116
Nishiwaki-shi 0795-22-3181~3
Sumoto-shi 0799-22-0620
Tanba-shi 0795-72-1070~1
Sasayama-shi 079-552-0092
Kobe-shi 078-991-1100
Tatsuno-shi 0791-62-0981
Aioi-shi 0791-22-0920
Akao-shi 0791-42-2376

Ibaraki-ken
Mito-shi 029-231-6221
Kasama-shi 0296-72-0252
Hitachi-shi 0294-21-6441
Chikunishi-shi 0296-22-2188
Shimotsuma-shi 0296-43-3737
Tsuchiura-shi 029-822-5124
Furukawa-shi 0280-32-0461
Ishioka-shi 0299-26-8141
Tsunemichi oomiya-shi 0295-52-3185
Ryuugasaki-shi 0297-60-2727
Takahagi-shi 0293-22-2549
Kashima-shi 0299-83-2318

Kanagawa-ken
Yokohama-shi 045-663-8609
Kawasaki-shi 044-244-8609
Yokosuka-shi 046-824-8609
Hiratsuka-shi 0463-24-8609
Odawara-shi 0465-23-8609
Fujisawa-shi 0466-23-8609
Sagamihara-shi 042-776-8609
Atsugi-shi 046-296-8609
Ashigarakami-gun 0465-82-8609
Yamato-shi 046-260-8609

Mie-ken
Yokkaichi-shi 059-353-5566
Ise-shi 0596-27-8609
Tsu-shi 059-228-9161
Matsusaka-shi 0598-51-0860
Kuwana-shi 0594-22-5141
Iga-shi 0595-21-3221
Kumano-shi 0597-89-5351
Owase-shi 0597-22-0327
Suzuka-shi 059-382-8609

Nagano-ken
Nagano-shi 026-228-1300
Matsumoto-shi 0263-27-0111
Okatani-shi 0266-23-8609
Ueda-shi 0268-23-8609
Iida-shi 0265-24-8609
Ina-shi 0265-73-8609
Inoyama-shi 0269-62-8609
Komoro-shi 0267-23-8609
Kiso-gun 0264-22-2233
Sakyuu-shi 0267-62-8609
Oomachi-shi 0261-22-0340
Suzaka-shi 026-248-8609
Suwa-shi 0266-58-8609

Saitama-ken
Kawaguchi-shi 048-251-2901
Kumagaya-shi 048-522-5656
Honjou-shi 0495-22-2448
Saitama-shi 048-667-8609
Kawagoe-shi 049-242-0197
Higashi-matsuyama-shi 0493-22-0240
Tokorozawa-shi 04-2992-8609
Hannou-shi 042-974-2345
Chichibu-shi 0494-22-3215
Kasukabe-shi 048-736-7611
Gyoda-shi 048-556-3151
Souka-shi 048-931-6111

Shizuoka-ken
Shizuoka-shi 054-238-8609
Hamamatsu-shi 053-457-5151
Numazu-shi 055-931-0145
Gotemba-shi 0550-82-0540
Mijima-shi 055-980-1300
Atami-shi 0557-82-3261
Itou-shi 0557-37-2605
Kakegawa-shi 0537-22-4185
Fujinomiya-shi 0544-26-3128
Shimada-shi 0547-36-8609
Makinohara-shi 0548-22-0148
Iwata-shi 0538-32-6181
Hamamatsu-shi 053-925-4108
Fuji-shi 0545-51-2151
Shimoda-shi 0558-22-0288
Yaizu-shi 054-628-5155
Fonte: IPC Digital

Novo serviço: será possível retirar atestado de residência no Japão nas lojas de conveniência

juminhyo

Um serviço inovador vai facilitar a vida de quem precisa retirar o atestado de residência (juminhyo) e o (Ikan shomeisho), em lojas de conveniência (Kombini)

Uma revolução parecida aconteceu no início do ano 2000 quando foi instalado caixas eletrônicos para saques de dinheiro nas lojas de conveniência em todo Japão, funcionando 24 horas.

De uma maneira fácil e rápida agora é possível retirar o atestado de residência (juminhyo) e o certificado de registro do carimbo (inkan touroku shoumeisho). O novo serviço começou a ser utilizado a partir do dia 22/01, em Yokohama/ Kanagawa, com aproximadamente 50.000 lojas de conveniência (kombini) estão equiparas para atender essa demanda.

Somente aqueles que possuem o cartão MY NUMBER poderão utilizar o sistema. O sistema está interligado à copiadora do kombini, e mesmo nos horários em que a prefeitura estiver fechada será possível retirar os documentos.
Fonte: IPC Digital com ANN News

O Nihon - Curiosidades sobre o Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Passagem para o Japão - Ligue 11 3101-8193

Passagens aéreas, pacotes de turismo, seguro viagem, reserva em hotel, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Viagem para o Japão

Passagem aérea e pacote de turismo para o Japão

Vaga no Japão

Vagas e notícias do Japão

Japan Rail Pass - JRP

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Visto japonês: nissei, sansei, yonsei, cônjuges e turismo

Como tirar visto japonês - contato@vistojapones.com.br - www.vistojapones.com.br

Trabalho no Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Empreiteiras no Japão

Emprego - passagem aéea - tradução - visto para o Japão, telefone 11 3101-8193

Emprego no Japão em 2017

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Aeroportos de todo o mundo

Informações sobre os principais aeroportos e companhias aéreas

Informações sobre empregos no Japão

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Passagem Aérea para o Japão - Narita, Nagoya e Osaka

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass

Pacote de turismo para o Japão e para o Oriente

Passagens aéreas, pacotes turísticos, visto japonês, venda Japan Rail Pass